Blog

Criando um ambiente de inovação digital
Empresas, Inovação

Criando um ambiente de inovação digital

Muitas empresas grandes e tradicionais vêem a inovação digital de uma maneira bastante particular. Elas assumem que o crescimento constante de competidores digitais nativos pode ser amplamente explicado pelas descobertas inovadoras ou maravilhas tecnológicas, afinal, eles nasceram em tempos em que isso é algo comum. A verdadeira inovação, segundo elas, é o domínio de conquistadores digitais e empresários ambiciosos.

Entretanto, muitas dessas empresas não sabem o quanto o digital pode trazer benefícios para os seus processos de forma geral. Inovar não é algo que apenas as empresas mais novas devem fazer, este processo deve ser feito por quem está buscando crescer e se manter no mercado. E para ter sucesso é preciso saber bem o que significa este tipo de inovação e tornar-se referência e não apenas uma empresa que utiliza alguns recursos tecnológicos para agilizar alguns processos. A era digital já oferece muito mais do que isso.

Considere o que aconteceu com os elevadores. O problema mais óbvio para quem tenta chegar a um escritório no andar 49 está na espera pela chegada do elevador. Durante anos, as empresas de elevadores têm usado eletrônicos para coordenar os elevadores com o intuito de tornar o tempo de espera o mais curto possível.  Mas recentemente as empresas de elevadores encontraram uma maneira de personalizar a solução gerenciando sensores na construção de emblemas de acesso dos funcionários com sistemas que calibram onde cada elevador deve estar parado para otimizar os tempos de espera individuais. Isso, por sua vez, permitiu que as empresas de elevadores renovassem seus modelos comerciais. Ao oferecer esse método de rastreamento, eles podem vender tempos de espera otimizados (elevadores como um serviço) em vez de elevadores com base apenas no preço. Eles estão vendendo desempenho, não hardware.

Essa ideia de começar com um problema e trabalhar com base nele é fundamental para criar uma organização mais responsiva que aplique uma mentalidade ágil para tudo, desde o planejamento estratégico até o gerenciamento de inventário. A metodologia ágil reúne equipes multifuncionais e capacita-as para enfrentar os problemas em conjunto. Elas são encorajadas a testar conceitos com antecedência e com frequência, e iterar melhores soluções com base em dados do mundo real provenientes de loops de feedback apertados.

Muitos dos inovadores mais eficazes combinaram uma cultura ágil de teste e aprendizagem com escalabilidade como sua linha de montagem para criar uma fábrica digital como parte de sua proposta de valor principal. Esta fábrica recebe entrada constante sobre como adaptar a jornada dos clientes, as capacidades operacionais ou os modelos de negócios com base em novos requisitos. Em seguida, ela processa essas necessidades, montando as tecnologias digitais e as soluções de alimentação necessárias no processo de “design rápido, protótipo, teste e implantação em escala” que leva a uma inovação constante e oportuna.

Não é simples entender esse tipo de inovação, e nem toda empresa pode (ou deve) reinventar o seu modelo operacional. Mas o crescimento sustentável depende do desenvolvimento de uma cultura de constante inovação em tudo o que a empresa faz. Começar com novas maneiras de envolver seu cliente não é tanto uma questão de experimentação de laboratório. É mais uma questão de experiência. As organizações precisam praticar a análise de pontos de problemas e oportunidades de maneiras totalmente novas até se que isso se torne um hábito. As empresas mais inovadoras não só se destacam na implantação da tecnologia digital, mas também ganham desafiando constantemente as formas de resolver problemas através da recombinação de elementos ao longo da linha de montagem da inovação de formas distintas e não convencionais. Essa habilidade é essencial e só se tornará cada vez mais, pois a explosão da tecnologia digital irá acelerar a inovação nos próximos anos.