Blog

A robótica e a sua influência no mercado
Robótica

A robótica e a sua influência no mercado

A automação de processos utilizando robôs está se tornando parte integrante de como as empresas operam, e essas soluções estão tornando os funcionários mais eficientes e ágeis. A PwC estima que as empresas podem automatizar aproximadamente 45% das atividades no local de trabalho. Até 2024, a automação de processos com robótica está prevista para ser um mercado de US$ 3,5 bilhões na América do Norte.

No entanto, a robótica não mudará apenas as operações – a automação dos processos mudará tudo, da sala de reuniões à educação. A ascensão da RPA (Robotic Process Automation) abrirá caminho para um novo papel na diretoria: o ‘Chief Robotics Officer’. Ela abrirá novas oportunidades de treinamento e carreira, fornecendo uma fonte crítica de emprego em todos os níveis da organização.

A ascensão do CRO

Ao longo dos anos, houve uma série de mudanças nos cargos dos executivos de alto nível. Desde o Diretor de Marketing (CMO) até o Diretor de Dados (CDO), o banco executivo está se expandindo para atender às necessidades em constante mudança das empresas em todos os lugares. À medida em que mais empresas reconhecem a necessidade de automação de tarefas manuais entre departamentos, será importante ter uma supervisão adequada e, portanto, um Chief Robotics Officer (CRO).

O papel do CRO já está se firmando no mercado de startups. A Humatics, desenvolvedora de sistemas de microlocalização e a Scorpiox, uma plataforma de drones como serviço, têm executivos com o título CRO. Segundo a Gartner, dentro de dois anos, até 10% das grandes empresas terão um CRO. Nos próximos anos, o cargo irá crescer exponencialmente à medida que corporações mais estabelecidas tomam notas das empresas iniciantes mais sucintas e flexíveis.

A automação de processos robóticos liberará as empresas para mudar a maneira como as tarefas do dia a dia são realizadas e, no processo, a maneira fundamental como os funcionários trabalham. Mas tal como acontece com muitas mudanças tecnológicas, os funcionários podem passar a temer pelos seus empregos. É justamente nesse momento que é de extrema importância a presença de um CRO. O CRO – parte operações, parte RH, parte TI – é um estrategista com visão de futuro, encarregado de identificar oportunidades de automação, ao mesmo tempo em que oferece aos funcionários as oportunidades de treinamento de que precisam para se adaptarem de maneira eficaz. O CRO vai ocupar vários departamentos para servir de ligação entre o ser humano e o robô. Esta posição será indispensável à medida que mais empresas se voltam para a automação para maximizar a produtividade.

Uma força de trabalho retreinada

O receio é que a RPA dizime o mercado de trabalho, deixando a grande maioria desempregada. Mas isso simplesmente não vai acontecer. A RPA criará maiores oportunidades dentro da força de trabalho para que os funcionários sejam treinados novamente e aprimorem suas habilidades para executar tarefas mais estratégicas. Felizmente, o medo dos funcionários está mudando para o otimismo: um estudo recente da MIT Technology Review descobriu que 94% dos trabalhadores nos EUA acreditam que é improvável que perdem seus empregos para a automação. No entanto, enquanto os funcionários estão cada vez mais confiantes de que seus trabalhos são seguros, é incerto o quanto seus empregos vão mudar.

Há muitas oportunidades para aqueles que estão dispostos a adotar uma abordagem proativa e colaborativa. Os funcionários, não mais sobrecarregados com tarefas manuais, podem usar esse tempo para ser mais estratégico e, em última análise, mais valioso para a organização. Funcionários espertos buscarão reciclagem para novas habilidades por meio de aulas de educação continuada, e os empregadores oferecerão opções patrocinadas pela empresa para acomodá-los. Alguns funcionários encontrarão maneiras de aprimorar as habilidades estratégicas para as quais foram originalmente treinados, permitindo que eles assumam as funções para as quais foram contratados antes que as tarefas comuns e manuais assumissem o controle.

Oportunidades para todos

Não há dúvida de que existe uma lacuna de habilidades em tecnologia e, embora a confiança esteja crescendo e a maioria dos empregos não será substituída por robôs, é inevitável que alguns o façam. Por natureza, todas as revoluções causam deslocamento e a 4ª Revolução Industrial não é diferente. No entanto, os funcionários mais experientes que sentem que suas funções de entrada de dados serão absorvidas em breve pela automação de software ainda podem sair por cima neste revolução. Em breve, os funcionários treinados especialmente em automação de processos poderão gerenciar e otimizar o software que antes ameaçava seus trabalhos.

Com a tendência crescente de bootcamps de codificação acelerada que prometem treinar as pessoas em questão de meses e academias inteiras repletas de recursos da RPA, será mais fácil do que nunca para os trabalhadores se capacitarem.Como mais recursos se tornam disponíveis, os especialistas da RPA surgem lentamente, mas com certeza preenchem a lacuna de habilidades tecnológicas sem a necessidade de um diploma universitário de quatro anos. A melhor parte é que os trabalhadores irão escapar com segurança dos papéis mundanos que são mais adequados para robôs.

À medida que mais empresas procuram automatizar tarefas rotineiras e repetitivas, os trabalhadores em todos os lugares irão colher os benefícios. Não só os dias sobrecarregados com o trabalho tedioso e monótono desaparecerão, mas novas oportunidades surgirão. Dos cargos mais altos às carreiras emergentes dentro da automação de software, a RPA mudará os papéis e os modelos de educação para fornecer empregos valiosos para as pessoas em todos os lugares.